Direitos dos trabalhadores podem regredir mais de cem anos com plataformas electrónicas